Entrelinhas

Desmistificando o Bepantol

A maioria deve conhecer, mas quem não, vale apresentar: o Bepantol é uma pomada grudenta que mela a pele e não absorve nunca que promete alto poder de hidratação, cicatrizar tatuagens, queimaduras, acalmar a pele, etc. Por ser barato e multiuso, virou queridinho das blogueiras e por consequência de milhares de leitoras.

Mas você já parou para ler o rótulo? Sabe o que querem dizer todos aqueles ingredientes? Senta aí que eu te explico.

Os derivados de petróleo – presentes na fórmula do Bepantol como os ingredientes paraffinum liquidumpetrolatum e ozokerite  – são amplamente usados pela indústria cosmética e farmacêutica principalmente pelo fato de serem muito mais baratos em relação às matérias primas vegetais. No entanto, eles não oferecem qualquer valor nutritivo para a pele e para os cabelos e podem trazer alguns problemas.

Um dos exemplos é o óleo mineral (paraffinum liquidum). Ele interfere nos mecanismos de hidratação da pele. Já o petrolato (petrolatum) pode ser contaminado com hidrocarbonetos policíclicos aromáticos (polycyclic aromatic hydrocarbons – PAHs), que são apontados como cancerígenos.

O que dá para concluir disso tudo é que o poder “hidratante” do Bepantol se deve principalmente ao mix de derivados de petróleo e sebo de lã de ovelha (lanolina). Na prática, a pomada não tem nada de milagrosa considerando que ingredientes vegetais e naturais podem oferecer a mesma hidratação e ainda nutrir a pele, sem malefícios para a saúde.

Substitutos para o Bepantol

Óleos e manteigas vegetais conseguem substituir muito bem o Bepantol e a vantagem todo mundo já sabe: são naturais, livre de crueldade, gentis para a pele, para o meio ambiente e para a saúde.

Dependendo do clima elas ficam sólidas e não tão fáceis de usar, mas basta colocar alguns poucos segundos no microondas, deixar em banho maria ou jogar um pouco do vento quentinho do secador em cima que elas amolecem e ficam fáceis de aplicar.

Vale lembrar que as manteigas vegetais puras são mais versáteis, uma vez que as que contêm óleos essenciais – apesar de terem benefícios extras – muitas vezes não são indicadas para passar ao redor dos olhos, nos lábios, etc.

Esse artigo foi originalmente publicada no blog Lookaholic.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.